Sites que Recomendo:
Verdade e Vida
Rev. Hernandes

UMBET

 

LIVRO DE ESDRAS

AUTOR: Desconhecido. Geralmente se crê que Esdras, embora não tenha sido o autor de todo livro, tenha sido o compilador das partes que não escreveu. Esdras, de descendência sacerdotal, foi um judeu exilado em Babilônia, 7:1-6.

TEMAS PRINCIPAIS: O regresso dos judeus de seu cativeiro em babilônia, a reconstrução do templo, e a inauguração de reformas sociais e religiosas.

MENSAGEM ESPIRITUAL: O poder da palavra de Deus na vida humana. Referido como a Palavra de Deus, 1:1; 9:4; Lei (o Livro) de Moisés, 3:2; 6:18; 7:6; mandamentos, 6:14; 10:3; Lei do Senhor, 7:10,14.

SINOPSE:

I. O regresso da primeira colônia de judeus sob a liderança de Zorobabel, caps. 1-6.
(a) Autorizado pelo rei Ciro, 1:1-4.
(b) Os nomes dos remanescentes que voltaram, os sacerdotes, os levitas, os descendentes dos servos de Salomão e suas possessões e ofertas, cap. 2.

II. Suas construções.
(a) Constróem o altar e estabelecem o culto, 3:1-6.
(b) Lançam os alicerces do templo, 3:8-13.
(c) O povo da terra desejou unir-se à obra, 4:1-2.
(d) Quando sua oferta foi rejeitada, se opuseram violentamente, causando a paralisação da obra, 4:4-24.
(e) Após longa demora, reiniciam a obra graças a um decreto de Dario, caps. 5-6.
(f) Término e dedicação do templo, e observância dos ritos antigos, 6:15-22.

III. Regresso da segunda colônia sob a direção de Esdras, autorizado pelo rei Artaxerxes, caps. 7-10.
(a) Lista dos exilados que regressaram em companhia de Esdras e sua chegada a Jerusalém, cap. 8.
(b) A correção dos males sociais realizada por Esdras, caps. 9-10.

A OBRA LITERÁRIA E RELIGIOSA DE ESDRAS.
A ele se atribui a autoria de vários salmos, especialmente do Salmo 119.
Antiga tradição atribui a Esdras a autoria de 1 e 2 Crônicas, mas isto não se pode provar. Associou-se com Neemias para iniciar um avivameto no estudo das Escrituras, Ne 8.
Acredita-se que ele seja o iniciador da sinagoga judaica e compilador da maioria dos livros do Antigo Testamento.

PORÇÕES SELETAS:

(1) A sublime confiança de Esdras na proteção divina, quando chamado a levar grandes tesouros através de lugares perigosos, 8:21-32.
(2) A oração e a confissão de Esdras pelo povo, 9:5-15.