Sites que Recomendo:
Verdade e Vida
Rev. Hernandes

UMBET

 

LIVRO DE EFÉSIOS

AUTOR. Paulo, o apóstolo.

DATA. Provavelmente escrita em Roma, ano 60-64 d.C.

O MINISTÉRIO DE PAULO EM EFÉSIO
Sua primeira visita, At 18:18-21; em sua segunda visita, o Espírito Santo foi dado aos crentes, At 19:2-7; continua seu trabalho com êxito extraordinário, At 19:9-20; seu conflito com os artífices, At 19:23-41; sua palavra aos anciãos efésios, At 20:17-35.

MARCO HISTÓRICO
Os judeus convertidos nas igrejas primitivas se inclinavam a ser exclusivos e a separar-se de seus irmãos gentios. Esta situação na igreja de Éfeso pode ter motivado o apóstolo a escrever esta carta, cuja idéia fundamental é a unidade cristã.

TEXTO CHAVE, 4:13.

CADEIA CHAVE, mostrar a corrente do pensamento, 1:10; 2:6, 14-22; 4:3-16.

TEMA PRINCIPAL. A unidade da igreja, especialmente entre os crentes judeus e gentios.
Percebe-se esta intenção na ocorrência de certas palavras e frases, como:
(1) As palavras com e juntamente; 1:10; 2:6; 2:22.
(2) A palavra um - um só novo homem; 2:14-15; um só corpo, 2:16; um Espírito, 2:18; uma esperança, 4:4; um Senhor, uma fé, um batismo, um Deus e Pai de todos, 4:5-6.

OUTRAS PALAVRAS E FRASES REPETIDAS.
(1) Em Cristo, 1:1,3,6,12,15,20; 2:10,13;3:11;4:21.
(2) Nos lugares celestiais, 1:3,20; 2:6; 3:10.
(3) Riquezas de graça, 1:7;2:7. Riquezas de glória, 1:18; 3:16. Riquezas de Cristo, 3:8.

SINOPSE
PARTE I. A igreja e o plano de salvação. Nota: Ao discutir o plano de salvação nas diferentes epístolas. Paulo varia a ênfase. Em Romanos, ele o faz sobre a fé sem as obras; em Gálatas, sobre a fé sem as observâncias cerimoniais; em Efésios, sobre a unidade dos crentes.
Cap. 1.
(1) A saudação, vv. 1-2.
(2) A origem divina da Igreja, vv. 3-6.
(3) O plano de salvação.
(a) Por meio da obra redentora de Cristo, vv. 7-8.
(b) Seu alcance é universal, vv. 9-10.
(c) Garante uma rica herança espiritual, vv. 11-14.
(d) Oração para que os crentes possam ser iluminados quanto às riquezas de suas provisões, vv. 15-23.
Cap. 2.
(e) O plano prevê uma ressurreição espiritual longe do pecado, e a exaltação do crente aos lugares celestiais vv. 1-6.
(f) Esta exaltação depende inteiramente da graça, e não das obras, vv. 7-10.
(g) Inclui os gentios, que estavam apartados de Deus, mas que foram aproximados por causa do sangue de Cristo, vv. 11-13.
(h) Remove todas as barreiras entre judeus e gentios, e os une em um corpo para habitação do Espírito Santo, vv. 14-22.
Cap. 3.
(i) Os mistérios do propósito divino são revelados a Paulo, e sua designação como apóstolo aos gentios, vv. 1-12.
(j) A segunda oração de Paulo pela plenitude espiritual da igreja e sua iluminação acerca do amor incomparável de Cristo, vv 14-21.
PARTE II. Aplicação prática. Propósito do plano divino no que se refere à igreja.
Cap. 4.
(1) A unidade dos crentes.
(a) No Espírito, 1-3.
(b) As sete unidades mencionadas, vv. 4-6.
(c) A diversidade de dons e a unidade do corpo de Cristo, vv. 7-16.
(2) A vida cristã conseqüente, o andar dos crentes:
(a) Não como os pecadores, vv. 17-21.
(b) Em uma nova vida, abandonado os pecados passados, vv. 22-32.
Cap. 5.
(c) Andar em amor e pureza, vv. 1-7.
(d) Andar na luz, vv. 8-14.
(e) Andar com cuidado, cheios do Espírito, vv. 15-21.
(3) A vida no lar.
(a) Deveres dos esposos e das esposas, vv. 22-23.
Cap. 6.
(b) Deveres dos filhos, dos pais, dos servos, e dos senhores, vv. 1-9.
(4) A luta espiritual.
(a) A fonte de fortaleza, v. 10.
(b) A armadura e os inimigos, vv. 11-18.
(5) Palavras finais e bênção, vv. 19-24.

SELEÇÕES ESCOLHIDAS
Orações de Paulo pela igreja, 1:16-23; 3:14-21.
A unidade cristã, 4:3-16.
A armadura espiritual, 6:10-17.